Anorexia Nervosa

Na Anorexia, a pessoa passa fome de propósito para emagrecer e mesmo estando muito magra continua vendo-se gorda, havendo uma distorção da forma de perceber o próprio corpo, com obsessão pela magreza. À medida que a anorexia se agrava, cessa a menstruação. A pessoa torna-se obcecada por dieta e desenvolve estranhos rituais alimentares. Pesa-se várias vezes ao dia, faz exercícios compulsivamente, mesmo quando está fraca, pesa os alimentos e mede os líquidos que vai ingerir com precisão. Conhece com precisão os valores calóricos dos alimentos.

A desnutrição pode lesar órgãos vitais, como coração e cérebro, a tensão arterial e a frequência cardíaca diminuem, a tiróide passa a trabalhar menos, unhas e cabelos tornam-se quebradiços, a pele resseca, fica amarelada e recoberta por uma penugem chamada “lanugo”. O organismo reduz a sua actividade para se proteger.

Bulimia Nervosa

Pessoas com bulimia ingerem grande quantidade de comida num período curto de tempo (ataques de fome) habitualmente movidas pela ansiedade, sentindo-se culpadas, inadequadas, e depois eliminam o “excesso” através de jejuns prolongados, vómitos, uso de laxantes ou diuréticos, prática obsessiva de exercícios ou um combinação destes métodos.

Muitas vezes é difícil detectar a bulimia. A pessoa come compulsivamente e desintoxica às escondidas e mantém um peso normal ou levemente acima.

A bulimia pode prejudicar seriamente o organismo da pessoa. Em raros casos há inclusive a ruptura do estômago. Os métodos compensatórios podem resultar em insuficiência cardíaca por deficit de sais minerais ,como potássio. O vómito pode provocar desgaste do esmalte dos dentes, a introdução dos dedos na garganta gera ulcerações nas mãos. Ocorre inflamação do esófago e intumescimento das glândulas salivares, podendo ocorrer irregularidades menstruais e diminuição do interesse sexual.

Compulsão Alimentar

O comedor compulsivo apresenta as mesmas características do bulímico, sem as actividades compensatórias. A pessoa come indiscriminadamente sem fome, por ansiedade ,stress ou outra emoção negativa ou não, praticamente sem mastigar, ingerindo grande quantidade de comida em pouco tempo. Para de comer por cansaço ou por estar empanturrada. Após sente-se culpada, sem controle e com diminuição ainda maior da auto-estima.

A compulsão alimentar é o grande vilão das pessoas que querem emagrecer. Se esta patologia estiver presente, deverá ser tratada prioritariamente, pois inviabiliza qualquer abordagem nutricional, por mais adequada que seja. Quando ansiedade, depressão, sentimentos negativos de qualquer ordem estão presentes no comportamento alimentar, deverão ser identificados e tratados. Mais que uma dieta, é necessária toda uma mudança no estilo de vida, que inclui alteração da pessoa com o alimento (como, quando e porque essas pessoas comem).

Desenvolvido por MediaTrust