Remoção de Sinais

Quando se deve remover um sinal?

Sardas e sinais escuros são muito frequentes no ser humano e, quanto mais clara a pele e maior a exposição solar durante a infância e adolescência, mais sardas o indivíduo deverá ter.
Em geral, todo o sinal apresenta a possibilidade de transformação em cancro da pele. Felizmente, tal transformação ocorre apenas numa minoria dos casos.

Na realidade, uma vez que estas lesões estão visíveis e em local de fácil acesso (a pele), isto permite a sua remoção, quando necessário, evitando problemas maiores para a saúde.
Os sinais de nascença são tão ou mais perigosos que aqueles que surgem na juventude e podem ser retirados sempre que o resultado estético for vantajoso.

A remoção de sinais, na maior parte dos casos, é um procedimento simples que é realizado pelo cirurgião plástico, com anestesia local, sem necessitar de internamento e em ambulatório (sem necessidade de aceder ao bloco operatório).

Que sinais devem ser removidos?

Devem ser removidos todos os sinais que:

  • Sofram modificações (crescimento ou mudança de cor) num curto período de tempo (semanas ou meses);
  • Que sangram;
  • Que causam comichão, ardem ou doem;
  • Que tem tonalidade escura e estão situados nas plantas dos pés, palmas das mãos, couro cabeludo, dentro da boca ou nas mucosas dos genitais.
Desenvolvido por MediaTrust